Sunday, April 13, 2014

32-Ukraïne

Estátua de Lênin em Sevastopól coberta por apoteose nacionalista

Ucrânia Urgente

Paul Craig Roberts, Abril 14, -14
[obs- Temos aqui um raro caso de autor (sinceramente) liberal, que se converteu à crítica do imperialismo e do “neo-liberalismo”, acolhendo todas os reformismos e críticas ao capitalismo, abraçando irresistivelmente, ao fim, as teses socialistas... Craig Roberts, acadêmico, intelectual, jornalista, que integrou o ministério das finanças no período Reagan, não deixa dúvidas:]
“O caso que se apresenta é o de que a melhor ação para a Russia é a de ocupar imediatamente os territórios russos da Ucrânia e re-absorver os territórios novamente à Russia, que é de onde eles surgiram. Isto deveria ser feito antes que os EUA e suas marionetes na OTAN estejam preparados para a guerra. (...) A Russia será demonizada por interminável propaganda de Washington quer a Russia absorva ou não seus territórios tradicionais. Se a Russia permitir que seus territórios sejam suprimidos por Washington, o prestígio e autoridade do governo russo entrará em colapso. Talvez seja com isto que Washington esteja contando.
[Craig R., entretanto, assim como tantos outros, confunde os interesses da elite internacional, com os ‘interesses norte-americanos’.]
“Se o governo de Putin se colocar ao largo enquanto a Ucrânia Russa fôr suprimida, o prestígio de Putin irá despencar, e Washington dará um fim ao governo russo colocando em ação suas muitas centenas de ONGs financiadas por Washington, as quais o governo russo tem tolerado de modo tão infantil. A Russia está repleta de quintas-colunas de Washington.
“Os governos da Russia e da China fizeram sérios erros estratégicos por permanecerem no interior do sistema internacional de pagamentos com base no dólar, o qual é um mecanismo para o imperialismo dos EUA. Os países do BRICS deveriam imediatamente criar seu próprio sistema de pagamentos separado, e seu próprio sistema exclusive de comunicações / internet.”
paulcraigroberts.org/washington-drives-world-war-
presstv.ir/us-policies-on-russia-to-herald-wwiii

Aos poucos, a resposta do Kremlin vai-se tornando mais visível
Ao longo dos últimos dias, os eventos na Ucrânia entraram em fantástica aceleração e houve vários eventos simultâneos. Vou tentar apontá-los um a um.


a) Em Kiev, os líderes da insurgência assumiram controle total do Parlamento e imediatamente aprovaram leis que revogam o status de língua oficial para o idioma russo.
b) Os líderes políticos foram à praça Maidan para obter a aprovação dos membros propostos para o novo governo.
c) Exatamente como a sra. Nuland ordenou, Iatseniuk ficou com o cargo de primeiro-ministro.
d) Na própria praça Maidan, aparecem profundas diferenças entre partes, que agora se opõem entre elas, da multidão.
e) O neonazista líder das "forças de segurança Maidan" e um dos fundadores do Partido Liberdade, Andrei Parubii, tornou-se chefe do Conselho de Segurança.
f) O líder do Setor Direita neonazista, Dmitri Iarosh, é agora Delegado-chefe do Conselho de Segurança.



neo-nazis sob controle hipnótico












g) O resto do novo governo são, a maioria, apoiadores do ex-presidente Yushchenko, em outras palavras: leais agentes dos EUA.
h) O novo regime dissolveu a polícia anti-tumultos e, assim, liquidou a última força que restava ainda capaz de manter a lei e a ordem nas regiões controladas pelos insurgentes. Agora reina a lei das gangues, nua e crua.
i) A moeda está em queda livre. Iatseniuk diz que são necessários $35 bilhões imediatamente, para evitar um calote. A dívida total é de $170 bilhões.
j) Nas áreas controladas pelo novo regime, estão acontecendo "expropriações" (roubos e assaltos) por toda a parte; a rua é governada pelos bandidos.
k) Yanukovich foi retirado da Ucrânia por forças da segurança russas (mais sobre isso, adiante).
l) O Parlamento do Tartaristão e o Congresso Mundial dos Tártaros apelou aos tártaros da Crimeia, basicamente para parar com a toda a porcaria (disseram em termos mais polidos). Honra e glória, à sabedoria dessas duas organizações!
m) Homens armados, não identificados, tomaram o prédio do Parlamento da Crimeia às 4h da madrugada, só para assegurar que, dessa vez, os membros eleitos daquele Parlamento pudessem entrar e reunir-se. Uma bandeira russa foi hasteada no topo do prédio do Parlamento.
n) O governador de Carcóvia, Mikhail Dobkin, renunciou ao cargo, para concorrer à presidência da Ucrânia, nas eleições de 25 de maio.
o) O Parlamento da Crimeia assumiu as funções do governo central e anunciou um referendo sobre o futuro da Crimeia, marcado para 25 de maio [antecipado]
p) O recém-eleito prefeito de Sevastopol reuniu-se com o Comandante-em-chefe da Frota do Mar Negro. Os dois declararam que não será tolerada nenhuma violência, seja de que tipo for.
q) Novas milícias populares de defesa formaram-se na Crimeia, com número estimado entre 5 mil e 15 mil membros, organizados em brigadas. Estão controlando todas as principais estradas e no momento estão filtrando o tráfego de quaisquer "visitantes" provenientes das áreas controladas pela insurgência.
r) Membros importantes do Parlamento russo visitaram a Crimeia para manifestar apoio à população local e reunir-se com parlamentares da Crimeia.
s) Na Rússia, as opiniões estão divididas sobre o que fazer: Vladimir Zhirinovksy e seu partido LDPR dizem que a Rússia deve ficar de fora e não dar um único rublo aos ucranianos. Os comunistas querem que a Rússia leve a questão ao Conselho de Segurança da ONU. O Partido "Só Rússia" (mais "moderado") está manifestando pleno apoio ao povo da Crimeia e diz que a Rússia tem de intervir e ajudá-lo. Feitas as contas, a tomada do governo por neonazistas em Kiev parece estar despertando uma mistura de desgosto e fúria, que pressionará o Kremlin para que faça alguma coisa.



As contas de Gás da Ucrânia...!













Assim sendo... E o Kremlin? De fato, acho que começo a discernir o que me parece ser uma estratégia de resposta em várias camadas, que o Kremlin porá em andamento, todas as camadas simultaneamente:
1) No plano da legislação vigente:
Ao retirar Yanuk do país e permitir que se refugiasse na Rússia, o Kremlin deixou claro que o presidente legitimamente eleito da Ucrânia estará fisicamente disponível para desafiar qualquer e todas as decisões do novo governo, do Parlamento controlado pelos insurgentes e do governo nacionalista fascista. É evidente que Yanuk está politicamente morto, mas, em termos da legislação vigente, continua a ser extremamente poderoso e ator importante que tem de ser mantido vivo.

2) No plano ucraniano:
O (agora ex-) governador da Carcóvia, Mikhail Dobkin, fez "discreta" viagem à Rússia e voltou com a decisão de renunciar ao cargo de governador, para concorrer à presidência. À primeira vista, a ideia de participar de eleições controladas pelos fascistas pode parecer estúpida, mas repense: em primeiro lugar, no caso totalmente improvável de uma eleição que seja pelo menos 50% decente, ele quase com certeza será eleito (a maioria dos ucranianos não apoia os fascistas). Segundo, se a eleição for 'manejada', Dobkin, candidato, poderá questioná-la. Terceiro, pelo simples fato de concorrer, ele pode forçar a imprensa controlada pelos fascistas (sobretudo a TV) a dar-lhe tempo de televisão no ar para responder à propaganda nacionalista fascista. Assim, tudo considerado, é movimento astuto.

3) Na Crimeia - nível político:
[obs- Veja no original as previsões não confirmadas do início de março do autor: a Criméia simplesmente fez um plebiscito em 16 de março para confirmar a solicitação do Parlamento local para uma re-unificação com a Rússia. A votação do Parlamento local foi unânime, assim como (raríssimo) a votação de reconhecimento no Parlamento Russo. O Presidente Putin apenas assinou o documento ratificando as decisões eletivas: mesmo assim a propaganda ocidental insistiu em uma "anexação" de "Putin"... (E no caráter "ilegal" do Referendum: uma contradição em termos!)
83% do povo da Criméia compareceu ao Referendum, com 97% dos votantes desejando a cidadania russa porque a maioria fala russo e faz comércio com a Russia. A Criméia fazia parte da Russia até 1954, e apenas se reintegrou... [por uma decisão burocrática da u.r.s.s. fôra transferida para a administração ucraniana, com a intenção de favorecer a república soviética local].
Os Tártaros eram a população original do séc. 18 quando os russos conquistaram a Criméia. No discurso do dia de assinatura da adesão o Pres. Putin mencionou os direitos históricos dos Tártaros, deportados pelo regime soviético durante a 2a guerra; e o Parlamento local da Criméia recebeu uma comissão de Tártaros para atender suas reivindicações de direitos. Ainda assim a "mídia" ocidental insistiu em "Tártaros novamente sob ameaça da Russia", etc.]


4) Na Crimeia - nível de segurança:
A Rússia usará a força para defender a Crimeia se for necessário. A solução preferível é ajudar as autoridades locais a defenderem-se, elas mesmas, fornecendo fundos, armas (se necessárias), expertise (se necessária), inteligência (se necessária), etc. Mas em praticamente todos os caso, nada disso será necessário, simplesmente porque tudo isso pode ser fornecido pela Frota do Mar Negro, com base ali mesmo. No máximo, os ucranianos nacionalistas podem mandar para lá as gangues de bandidos que já usaram em Kiev.

Por outro lado, a Frota do Mar Negro pode mobilizar a 810ª Brigada Independente de Infantaria Naval, o 382º Batalhão Independente de Infantaria Naval e, até, o 102º Destacamento independente Spetsnaz da Marina, o que significa algo entre 1.300-1.400 soldados de elite, todos eles oficiais super treinados, com longa experiência de combates, apoiados por artilharia, força aérea, blindados, etc. De fato, minha expectativa é que as autoridades locais e as forças policiais (inclusive os Berkut da polícia antitumulto local e as milícias populares de defesa) serão suficientes para conter qualquer 'visitante' da insurgência que apareça por lá, sem precisar de qualquer ajuda da Frota do Mar Negro. Em resumo: a insurgência ucraniana jamais controlará a Crimeia.

5) Leste da Ucrânia:
É onde as coisas ficam muito mais nebulosas. Meu palpite é que o Kremlin está adotando uma atitude de "esperar para ver" em relação ao leste da Ucrânia, esperando pelo que aconteça num nível local. O princípio básico por trás da política do Kremlin é "só ajudamos os que se ajudem eles mesmos e façam por merecer nossa ajuda". A Crimeia é exemplo perfeito dessa abordagem. Fato é que os nacionalistas têm forte presença em Carcóvia, Dniepropetrovsk ou Poltava. Assim sendo, o desenlace aí é muito mais difícil e delicado de antever.

6) Restante da Ucrânia:
Aqui, entendo que a política correta é auto-evidente: primeiro, deixar que os doidos lutem entre eles até aplacarem o coração. Eles que comandem a já arruinada economia real; eles que descubram até onde conseguem sobreviver movidos só a hinos nacionalistas e gritos de "Fora, judeus e russos, Ucrânia para os ucranianos!" - A União Europeia e os EUA que compareçam com os $35 bilhões para pagar por mais essa "revolução colorida" e evitar um calote; e, depois, eles que deem jeito de administrar esse novo regime "popular pró-ocidente".

Então, quando o dinheiro deles acabar, é esperar que recorram ao Kremlin e peçam ajuda. Aí, basicamente, se tratará de "comprar a parte deles para tirá-los do negócio", item a item, fábrica a fábrica, político a político, oligarca a oligarca, região por região. A Rússia NADA deve a esses nazistas odiadores de russos. E nada lhes dará gratuitamente. Os nacionalistas ucranianos tentarão retaliar, sobretudo com ataques aos gasodutos russos que atravessam a Ucrânia, mas essa é estratégia inviável: ferirá, em primeiro lugar e mais fundo, a Europa; e, afinal, a Rússia já construiu dois gasodutos que não passam pela Ucrânia. Eventualmente, a Ucrânia acabaria por romper com o ocidente.

Quanto à China, já está processando judicialmente o novo regime por quebra de contratos comerciais (ou, pelo menos, já há notícias disso, em algum dos noticiários que ouvi). A China seguirá a Rússia, nesse caso.

7) Violência previsível no leste da Ucrânia:
A menos que um milagre ocorra, haverá muita violência nas províncias do leste da Ucrânia. No ponto em que estão as coisas hoje, não vejo qualquer intervenção militar russa para proteger a população falante de russo, que terá de defender-se, ela mesma. A Rússia garantirá (a) apoio político, (b) financeiro e, possivelmente, quantidade limitada de (c) apoio secreto.

Quanto a EUA/OTAN, não acredito que intervirão militarmente. Haverá MUITA propaganda anti-Rússia, muita propaganda pró-nacionalistas fascistas, milhões de dólares norte-americanos continuarão a encher as burras dos líderes do golpe, mas, mais cedo ou mais tarde, os EUA e seus fantoches europeus terão de se conformar ante a evidência de que fracassaram: não expulsaram da Crimeia a Frota do Mar Negro; e a Crimeia se encaminhará na direção da Rússia: será o tiro pela culatra, da "revolução colorida" que EUA e União Europeia inventaram em Kiev.

Mas em nenhum caso EUA/EU reconhecerão qualquer tipo de autoridade pró-Rússia em nenhuma parte da Ucrânia. Por isso é possível que o país rache, como a Geórgia ou as duas Coreias. OK - absolutamente não tirará o sono nem da Crimeia nem da Rússia - EUA/EU que tenham sua própria versão do Kosovo, só para variar...


















Veja as mais recentes postagens do
= Vinhedo visto pelo Falcão =:
[obs= o "vinhedo" tem a significação de uma esfera espiritual de atividade... aparentemente trata-se de um russo, radicado na europa, que traduz do alemão, e domina bem o inglês]

Goblin News 11 - youtube
youtube.com/v=dfzMnP3ilcI#t=117

Friday, September 13, 2013

31-BREAKING NEWS !!!

Aos 9min30s deste video veja a mais sensacional manchete de todos os tempos: a fundação do Banco da Reserva Federal!!
Cem anos depois, a privatização da emissão do dólar com a instalação do Federal Reserve [FED] pelos banqueiros internacionais londrinos em Nova Iorque continua sendo, e a cada novo dia, o principal destaque do noticiário...
www.youtube.com/watch?v=dz8_R99xUYI


Neste video podemos observar como o clube dos banqueiros Rothschild & Morgan & KuhnLoeb & Warburg & Rockefeller & ... conseguiram fazer dos EUA o primeiro país “invadido pelo imperialismo”: e tornando refém a sociedade ianque, uma vez que é sua produção que serve inicialmente de lastro econômico real para as emissões dos dólares.
O expediente de se ter barras de ouro para “dar lastro” a emissões que se tornam infinitas, estabelecido de modo displicente no acordo Bretton Woods 1945, como pretexto para se ter o dólar como moeda comercial internacional, é exposto de maneira clara neste video.
Em seguida veja como a “desindexação” do dólar às barras de ouro em 1971, na “administração” Nixon, serviu para o golpe final de se indexar o dólar a sua prerrogativa para a compra de petróleo – os “petrodólares” sauditas de 1973. O lastro para as emissões infinitas de dólares se torna agora o próprio petróleo – sua produção e oferta comercial pelos países árabes-associados. A sociedade ianque desta vez lucra bastante, com um padrão financeiro que lhe garante alta vantagem comercial; sendo novamente refém, agora como beneficiária, do valor da moeda dos banqueiros.
Como sócios da moeda dos banqueiros, na sombra se mantêm os cruéis Sheiks Wahabitas...
patrialatina.com.br/colunaconteudo.php?idprog=721
realjewnews.com/?p=880

E assim temos a outra permanente manchete do noticiário internacional:
Breaking Newss! Mais um país árabe não-associado acaba de ser invadido!!!




from Veterans Today

















[obs= Seria necessária uma revisão para a leitura de Petras de que o regime saudita teria apoiado os militares egípcios contra a Irmandade Muçulmana... O inverso pareceu mais evidente, com o apoio saudita à Irmandade havendo sido o começo de sua derrocada... Após isso, uma oferta de larga soma aos militares egípcios seria apenas mais uma típica tática desesperada do regime wahabita!]


O RETORNO da JAMAHI-RIYA
Fevereiro de 2014
GOVERNO FANTOCHE da LÍBIA CONTINUA a RUIR
Assim como seus irmãos e irmãs no Egito, os Líbios estão livrando seu país do Governo Fantoche dos EUA instalado pela OTAN e pelos Extremistas Islâmicos, da Irmandade Muçulmana, Al Qaeda, Ansar Al Sharia, e de toda a perversidade introduzida em seus país pela OTAN. O povo líbio está sofrendo há 3 anos agora, desde que a OTAN destruiu seu país, e os deixou sob o controle dos mercenários [fanáticos sanguinários criados pelos serviços de inteligência ocidentais].
Neste dia [07] 60 mil Líbios tomaram as ruas em Trípoli e em números substanciais por todo o país em outras cidades. Eles exigem a remoção do fantoche Primeiro Ministro Zeidan e do Congresso Geral Nacional devido a sua completa falência. Eles também exigem que todos os extremistas Islâmicos sejam removidos de seu país. Nas últimas duas semanas alguns dos membros do CGN têm apresentado suas renúncias e estão tentando correr com os rabos entre as pernas (eles sabem o quanto são criminais). O povo líbio está se recusando a participar da máquina de governo e de quaisquer orgãos públicos até a remoção completa do CGN.
libyan-streets-friday-february-7-2014
resistencialibia.info/?p=6996
resumenlatinoamericano.org/?p=2089

Guerra Secreta na Líbia
libyanwarthetruth.com
libyas-young-women-suffer-gang-rapes-prison-and-request-permission-suicide
stopimperialism.org/secret-war-libya
video-god-bless-great-libyan-patriotic-resistance-god-speed

Janeiro de 2014 - Depois da tentativa frustrada de ataque à Síria ao final de agosto [vide abaixo] o “governo” dos EUA “decidiu” mudar de opinião e dar respaldo a uma iniciativa russa de “banimento” das “armas químicas” da Síria, e “acordo nuclear” com o Iran... Com isso, ficou igualmente banida toda chance de propaganda belicosa a respeito:
Em que pese todo o encobrimento da mídia corporativa, o “governo dos EUA” foi obrigado a aceitar uma derrota moral, política, diplomática e estratégica diante do governo russo e seus aliados. E há muitos sinais de que os militares ianques, por sua vez, se cansaram de fazer o jogo de dominós do sistema illuminati, sendo a cada vez convocados para conter “fanáticos muçulmanos” criados pela CIA e sustentados pelo serviço secreto da Arábia Saudita.
prisonplanet.com/military-revolt-against-obamas-attack-on-syria


















O “governo dos EUA” agora está “apoiando” de maneira contraditória a iniciativa russa de uma conferência em Genebra entre o governo sírio e grupos de oposição, sem a participação dos mercenários estrangeiros sustentados pela Arábia Saudita.
Com isso, os membros de cúpula dos dois principais dominós “aliados”, sauditas e sionistas, estão desesperados e o “governo dos EUA” parece vago... Doze anos após o audacioso assalto illuminati do onze-de-setembro, é provável que setores militares e da sociedade ianque estejam finalmente se apossando da máquina do Estado de sua nação, de modo a neutralizar o jogo de dominós imperialistas que marcou o período de 1914 a 2013.
Nesta data de 19/jan, o embaixador dos EUA na Síria adverte que é melhor a oposição se conciliar com o governo sírio pois o Sheik dos Mercenários Bandar Bin Bush Sultan acaba de se exilar nos EUA:
almanar.com.lb/english/adetails.php?eid=131228
globalresearch.ca/saudi-arabia-corrupt-and-fraudulent-regime-saudi-prince-defects



Al Mukawama: Fanáticos chechenos y daguestaníes del Norte del Cáucaso alucinados tras 20 años del poder de mafias, ignorantes y drogados tunecinos y libios que renuncian a su arabismo, africanos contratados a punta de dólar, talibanes afganos en el límite de la animalidad...

Rebeldes receberam as armas químicas de Bandar, príncipe-chefe da inteligência saudita, e dizem a repórteres na Síria que não sabiam o que eram ou como usá-las direito...
actualidad.rt.com/actualidad/104408-rebeldes-siria-confirmar-armas-quimicas
mintpressnews.com/witnesses-of-gas-attack-say-saudis-supplied-rebels/168135

Propaganda de ataque naval e armas químicas é puro malabarismo publicitário: mísseis Tomahawk da OTAN são muito lentos em comparação com os mísseis russos
E os míssseis russos são muito mais numerosos em terra e nos navios
Militares da OTAN sabem que não podem mais vencer a Russia num confronto direto: objetivo da cúpula Illuminati é manter indefinidamente a propaganda, as guerras de desgaste, e a divisão no mundo árabe


Art by David Dees

31 de agosto -- Ataque à Síria foi suspenso na madrugada do sábado -- O Chefe do Estado-Maior, General Martin Dempsey, com suporte de seus generais e almirantes do Estado-Maior, tomou posição diante da precariedade da paz no Oriente Médio e um apressado e destrambelhado Presidente Obama que estava pronto para lançar um ataque militar à Síria.
veteranstoday.com/2013/09/04/american-generals-stand
rt.com/usa/us-against-syria-strike-313

Marinha Russa
spanish.ruvr.ru/Siria-que-puede-hacer-la-Marina-de-Rusia
rt.com/news/navy-warship-syria-mediterranean-800
rt.com/news/russia-moskva-cruiser-mediterranean-720

A agressão terminou no momento em que os dois mísseis foram disparados -- O despacho emitido pelo Ministro da Defesa Russo, que registrava a detecção de dois mísseis balísticos lançados na direção [do litoral] do Oriente Médio [desde a base da OTAN na Espanha em Set. 03] tinha por finalidade negligenciar dois pontos: o primeiro era a origem de onde os dois foguetes foram lançados, e o segunda que foram abatidos...
No momento em que a operação militar já havia sido consumada, o Chefe do Serviço de Inteligência Russo contactou a inteligência estadunidense e informou que “atingir Damasco é o mesmo que atingir Moscou”, e nós removemos o termo “foram abatidos os dois mísseis” em nossso despacho para preservar as relações bilaterais e evitar um escalonamento.
almanar.com.lb/php?eid=110043


Hezbollah

Armas Químicas entregues aos rebeldes por diversas fontes para que cometessem atrocidades, que fossem atribuídas ao exército sírio
prisonplanet.com/u-s-military-al-qaeda-rebels-produced-sarin-gas.html
Ex-prisioneiro francês revela autores dos atentados em Ghouta
rt.com/op-edge/syria-chemical-attack-hostage-822
Crianças Alawitas sequestradas e mortas para as filmagens
voltairenet.org/article180130.html
voltairenet.org/article180128.html
voltairenet.org/article180132.html
Nadeem Baloosh, no manifesto de seu grupo insurgente Riyadh Al Abdeen, afirma que usará armas químicas contra mulheres e filhos dos inimigos
prisonplanet.com/video-syrian-rebel-admits-using-chemical-weapons.html
Profissionais de Inteligência
prisonplanet.com/intelligence-professionals-assad-not-responsible-for-chemical.html
Freira Carmelita na Síria denuncia filmagens falsas, e outros atentados químicos de mercenários
rt.com/mother-chemical-attack-footage-fraud-509
Rebeldes processados na Turquia por uso de armas químicas
rt.com/news/turkey-syria-chemical-weapons-850



Exército Sírio












Setembro 12 - CIA reinicía envio de armas a mercenários
hispantv.ir/detail.aspx?id=240412
rt.com/usa/us-weapons-syrian-rebels-745/

Mural Patriótico em Latakía

Tuesday, May 7, 2013

30-Página do Imperialismo Zionista

Jafar M. Ramini, Historiador Palestino, vê o “Dia da Desgraça” como um fenômeno “de fabricação inglesa”, que começou a se produzir em 1840:
-- Naquela época nenhum estrangeiro tinha permissão para possuir terras na Palestina e o número de judeus era de menos que 3.000.
Em 1897 quando a Palestina foi pela primeira vez apontada como a escolha preferencial para o estabelecimento de uma Pátria para os Judeus [...] Theodor Hertzl, o fundador do Zionismo, dirigiu-se ao Sultão Abdul Hamid II do Império Otomano, já então em seus últimos estágios, para saber se a Palestina poderia estar à venda:
“Faça o favor de avisar ao Dr. Hertzl para não fazer nenhum movimento a sério nessa questão. Eu não posso abrir mão de nenhum estreito pedaço da Palestina. Não é algo que eu possua como parte de meu patrimônio pessoal. A Palestina de fato pertence à Nação Muçulmana como um todo. Ver a Palestina ser arrancada do Território do Califato ... é algo que não vai acontecer”, disse o Sultão Abdul Hamid II.
O dia 02 de Novembro de 1917 é a data encravada em cada coração palestino, quando a famigerada Declaração Balfour, escrita na forma de uma carta, foi enviada ao Lorde Walter Rothschild. O governo inglês, em sua infinita sabedoria, aderiu de modo veemente a uma promessa de estabelecer um lar para os Judeus na Palestina, e totalmente ignorou a promessa feita de proteger os direitos da população Palestina nativa. Naquela época, a Palestina tinha 10% de Judeus e 90% de árabes palestinos muçulmanos e cristãos.
A Palestina foi colocada sob mandato britânico em 1922. Seu primeiro Alto Comissário foi [o primeiro dedicado sionista a se tornar Ministro no governo britânico] Sir Herbert Samuel. Durante o mandato de Samuel [...] o hebraico se tornou língua oficial, um sistema educacional judaico separado foi instituído, ministros judeus de energia, água e força elétrica foram estipulados e, mais cruel de tudo, foi estabelecido um exército judeu, com acesso a equipamento e treinamento britânicos.
A cidade de Tel Aviv [até então um bairro de Jaffa] recebeu status de autonomia... A imigração judaica para a Palestina estava crescendo a velocidade estonteante. Entretanto, ela atingiu seu máximo em 1933, quando mais que 175.000 Judeus emigraram para a Palestina. Tudo isto foi acontecendo enquanto aos Palestinos eram negados a sua liberdade e quaisquer direitos civis.
Em 1929 os Palestinos encurralados tiveram seu primeiro ato de desafio. Eles anunciaram um greve geral e esticaram bandeiras pretas. A resposta do governo Britânico a este protesto legítimo foi o de enforcar os três líderes da resistência – Hijazi, Zeir e Jamjoum.
Em 1947 a ONU decidiu mais uma repartição da Palestina e deu 56% [do território] aos Sionistas e 43% aos Palestinos. O plano foi rejeitado pelo lado árabe; e os Sionistas, enquanto pretendiam tê-lo aceitado, continuaram com sua campanha de terror, contra os Britânicos [até então seus protetores] e Palestinos, e com isso ainda se apresentando como vítimas.
presstv.ir/2013/05/15/deir-yassin

Joseph Massad é professor de Política Árabe Moderna e História Intelectual na Columbia University, em New York. É autor de: The Persistence of the Palestinian Question redecastorphoto.blogspot.com.br/israel-antissemita-e-colonialista



Bibibi 666: Se considera um homem feliz porque conseguiu detonar o gatilho da Guerra Mundial

foto retirada do site Real Jew News
Brother Nathanael Kapner: Sou um “Evangelista das Ruas” – Fui Educado como Judeu – Agora sou Cristão Ortodoxo
www.realjewnews.com
www.realjewnews.com/p=815

A terceira guerra deve ser fomentada ao se extrair vantagens das diferenças causadas pelos agentes dos “illuminati” entre os zionistas políticos e os líderes do mundo islâmico. Albert Pike, 1871
governo-washington.blogspot.com.br/23-jogos-de-guerra

Gordon Duff é veterano de guerra no Vietnã e tem bons motivos para ser anti-Zionista
veteranstoday.com/2013/04/israel-orchestrating-world-war
presstv.ir/2013/05/06/usled-ziowahhabis-wage-war-on-syria

Engdahl, May 07
rt.com/op-edge/israels-syria-madness-cold-calculation

Navios russos da frota do Pacífico entram no Mediterrâneo
rt.com/news/russian-pacific-fleet-mediterranean

Syria News: Marinha Síria destrói submarino de Israel
syrianews.cc/syrianews-exclusive-syrian-navy-destroys-israeli-submarine

Gordon Duff: Cogumelo do ataque Israelense indica um "mini-nuke" - Foi a resposta israelense ao afundamento de um de seus três submarinos
youtube.com/watch?v=vm7ObVSix7w

Maio 25 - Nasrallah llama a defender Siria de los ataques imperialistas
resumenlatinoamericano.org/index.=3613&Itemid=47

syrianews.cc
sana.sy/spa/2013/06/08.htm
liveleak.com/view?i=ea8_1370805614
prisonplanet.com/man-behind-syrian-chemical-weapons-claim-is-fiction-writer

Thierry Meyssan, Junho 10
voltairenet.org/article178838 [espn]
voltairenet.org/article178820 [franc]
voltairenet.org/article178848 [ingl]

Al Manar Líbano
almanar.com.lb/english/main
almanar.com.lb/spanish/main
almanar.com.lb/spanish/adetails.=35960




















O Perigo de Zionnn
governo-washington.blogspot.com.br/o-perigo-de-zionnn


Os depoimentos de Artur Koestler, de Brother Natanael, de Gilad Atzmon. de Shlomo Sand, são depoimentos de pessoas nascidas sob educação, cultura, laços familiares “judeus” – entretanto estes são autores, e ativistas, contra a idéia de um determinado “povo judeu” - como entidade unificada ao longo da História, que seria descendente direta do antiga Nação (ou Povo) dos Hebreus. Isto não seria o mesmo quando se considera apenas os costumes, cultura, religião “judaicos”, como mores de fato, na história.
Entretanto, é o povo Sepharadim, os descendentes dos Hebreus no Mediterrâneo, que poderiam reivindicar esta herança, até pelo menos os últimos séculos da Idade Média, quando a Hispania dos mouros foi reconquistada por Católicos. Estes Sepharadim que, naturalmente, existiam até então como parte do mundo muçulmano...
A idéia de “povo judeu”, assim, seria tão arbitrária quanto a de “povo católico”, p. ex., depois do Renascimento. O que importa é saber se uma determinada religião é de fato o fator de unificação de uma nação, ou se é apenas costume, comportamento, etc. Como no caso da menção do Sultão Otomano à "Nação Muçulmana", referindo-se a seu império - que justamente a partir de 1922 deixou de ser unificado, sub-dividido em várias novas nações ainda muçulmanas; além da Pérsia e Afeganistão, que eram muçulmanas sem serem otomanas, etc
É porisso que estes ativistas insistem em desconstruir a "identidade dos judeus”, como argumento central de uma propaganda, e de uma ilusão, que devora seus próprios aderentes. Koestler, como se sabe, tenta demonstrar, como historiador polonês Ashkenazim, que todos os judeus Ashkenazim da Europa Oriental seriam descendentes de turcos Khazários que no séc. Oitavo d.C. haviam se convertido oficialmente, por sua monarquia, à religião dos Hebreus:
governo-washington.blogspot.com.br/2008/04/16-artur-koestler
É somente sendo pressuposta esta identidade teimosa, conforme afirma Shlomo Sand, que a idéia do Zionismo pôde prosperar, a partir da campanha de Hertzl, com seu congresso em 1897, para que os judeus, como nação, pudessem reivindicar um pedaço de terra mítica na Palestina. (Theodore Hertzl que é tido como agente do Clã Rothschild, o qual de fato patrocinou a fundação do Estado de Israel, depois de promover a imigração desde 1876).
Koestler é bem claro quando sugere que os Judeus, com qualquer identidade, poderiam receber domicílios na Palestina, por uma decisão humanitária e de perfeito acordo e respeito à soberania das partes envolvidas. Jamais por justificativas de direito natural teológico. Nesse caso, um enclave pouco populoso, com perfeita continuidade civil, comercial, jurídica, com os vizinhos nativos. De modo algum uma população que chega já nos anos 20 tendo direito a exércitos e milícias, com crescimento exponencial a partir do início dos anos 30, antes da ascensão nazista, e depois, com a colaboração destes.
governo-washington.blogspot.com.br/2007/09/em

Shlomo Sand - A Invenção do Povo Judeu
youtube.com/watch=OLEXJ8rvHgA

Veja as dezenas de escritos de Gilad Atzmon
gilad.co.uk/writings
Exilado em Londres depois de ter servido no exército de Israel em 1982-83, Gilad se tornou um dos saxofonistas mais reconhecidos, intérprete e criador do jazz internacional contemporâneo. Como ativista anti-Zionista Gilad adverte que os judeus são condicionados a se colocar sempre na posição de gente mal-compreendida, perseguida, vítima de inimigos ao longo da história...




Este seria o desenho mais natural para uma Nação Árabe, como descendentes dos antigos Sírios [greco-fenícios], Semitas e Mesopotâmicos. Nesse caso, uma nação árabe do Norte, enquanto a Arábia Saudita e seus vizinhos seriam a nação árabe do Sul.
O fato de um povo, como língua e costumes, se manter unificado por um certo tempo, em função de um Estado mais ou menos estável, faz com que este Povo se torne uma Nação.
Uma vez que um povo, como mescla de tipos físicos, vive durante séculos numa mesma região, naturalmente um tipo físico padronizado se desenvolve como resultado da mescla. Assim, os conceitos de Etnia do século XIX não são sinônimos de "raça", mas também não deixam de verificar a padronização mencionda, tipológica.
É assim que o Imperialismo e sua Propaganda inverteram as proposições, onde os conceitos de povo [etnia] e nação [ou nações] árabes podem ser verificados, e os equivalentes para os conceitos de povo judeu, nação israelense, etc, não podem - de fato ou direito histórico.
As religiões, como parte dos Costumes, podem ou não servir para unificar um povo, ou mesmo um Estado. No caso negativo, um Estado pode professar um estatuto religioso, sem que o povo siga os valores pressupostos de modo sincero, como é o caso em Israel e nas nações ocidentais. Ou quando é o Estado que não os seguem, como na Arábia Saudita, Katar, Bahrein.


Oito por Cento da Palestina
middleeastmonitor.com/6132-data-shows-that-palestinians-now-own-just-8-per-cent-

A Palestina não é uma fazenda particular do Rei Abdullah da Arábia Saudita
veteranstoday.com/2013/palestine-is-not-a-farm-of-the-saudi-king





Monarco-Criminal da Arábia Saudita







Monday, December 3, 2012

29 - O que será mesmo o Governo em Washington

















Ernesto Gómez Abascal
rebelion.org/id=Ernesto%20G%F3mez%20Abascal&inicio
rebelion.org/noticia=150004

REAL LYBIA
youtube.com/watch?v=9hlOhymEY7c

Truth about Lybia
mathaba.net/news=626507

Monstruoso Ataque Salafista
resistencialibia.info/=5474
Las bestias salafias, zafias, salvajes, sangrientas e ignorantes, fanatizadas por mollahs renegados sauditas y armados por la CIA han enviado un "mensaje" muy claro sobre el desprecio que sienten por la ciencia, la educación, el conocimiento, la universidad y el progreso al pueblo sirio. Tenía la forma de 2 misiles entregados por la CIA y pagados por los sauditas que han impactado en las aulas de la Universidad de Alepo cuando los estudiantes realizaban sus exámenes. 80 personas han caído asesinada en este acto de barbarie contra la ciencia y también contra el Islam.

















Mathaba port
pt.mathaba.net/

Praça Verde, 01 de Julho de 2011
vimeo.com/25897585

CIA Invasion of Lybia
mathaba.net/news/=627018

Tarpley: The Unauthorized George Bush
tarpley.net/online-books/george-bush-the-unauthorized-biography


video

Tavistock Institute: Formar e Controlar a Opinião Pública
educate-yourself.org/cn/tavistockarticles.shtml

educate-yourself.org/links.shtml
opednews.com/articles/Are-Banksters-the-Fed.html
opednews.com

The Richard Sauder Briefing
youtube.com/watch?v=wpWA1FrTOoE

... Nós temos agencias que de fato tem programas concretos de controle mental tais como o MK-ultra da CIA ...
... o alimento que comemos está cheio de substâncias químicas que influenciam nosso sistema nervoso ...
... eles usam estes indivíduos bastante como fantoches, um sujeito como o presidente dos EUA, ou da França ...
... é possível à elite regente criar dinheiro digitalizado, com alguns golpes no teclado em seus maciços super-computadores, eles criam dinheiro literalmente do vento, a partir de nada, eles se viram para o outro lado e emprestam aquele dinheiro a juros...




















Oooh...! Vocês ainda acreditam que eu sou o mesmo... que eu sou o mesmo senador do partido democrata que teria vencido as eleições em 2008? Vocês não percebem que eu sou um cara diferente, que todo dia tenho que ensaiar o script do meu discurso... vocês não percebem que eu sou um ator, com todos os maneirismos pré-fabricados de um canastrão, como cópia dos gestos do Barackinha original...! Sim, eu sou um sósia, eu fiz plástica, eu sou um rapaz esforçado... Porém, vocês podem querer perguntar enfim: onde está o Obama Barack original??

Sarkozy
voltairenet.org/article157832
voltairenet.org/article157821

Evidências avassaladoras mostram a fraude eleitoral, abusos foram decisivos para o resultado final
www.wnd.com/2012/12/did-obama-steal-the-2012-election















Dezembro 2012 - Notícias, confissões, contra-informações de caráter contraditório confirmam versão da superioridade russa em tecnologia militar global, dispensando o uso de porta-aviões, entre outros aspectos... A superioridade estratégica russa (desde os anos 90 pelo menos) seria a explicação para o excesso de cautela de sua parte: neste caso seria do interesse do sistema “illuminati” as provocações incessantes para a guerra total; ao passo em que para russos, chineses e iranianos a destrutividade de uma guerra total não seria necessária, na medida em que podem conter estrategicamente o adversário. Isso explica ainda a constante hesitação de militares ianques e israelenses ao longo dos anos em executar as “ordens de ataque”...

Engdahl discusses Putin's Geopolitical Chess
engdahl.oilgeopolitics.net/print/Putin%20Chess

A propaganda para acusar uma intenção do governo Sírio em usar “armas químicas” não rendeu crédito: agora a histeria é dirigida no sentido de que “os mercenários salafistas vão se apoderar das armas químicas e usá-las contra Israel!!” – o que é uma confissão da falta de sentido em se armar os invasores mercenários supostamente fundamentalistas, até então os piores inimigos do Ocidente:
debka.com/article/22618/US-pulls-war-fleet-from-Syrian-water
Ou então é uma confissão da velha estratégia dos "dominós": a intenção seria fazer com que Israel se sinta ameaçada, para iniciar a guerra total. Caso o interesse fosse "preservar o povo judeu", a estratégia seria outra: como de fato podemos ler diariamente, há anos, no Haaretz, principal jornal israelense, que faz oposição às políticas militaristas sionistas.
Enquanto isso, os “turcos estão decepcionados”, depois que os dois porta-aviões e tropas ianques foram “chamados de volta”... Em seguida, uma segunda frota russa se dirige tranqüilamente para sua base síria em Tartus:
rt.com/usa/news/us-aircraft-stationed-turkey
presstv.ir/detail/2012/12/18/278723/russia-warships-sail-to-mediterranean-sea

“Míssel Balístico” não explicado sobre Israel, Junho 2012
english.pravda.ru/science/mysteries/08-06-2012

obs- Este seria um “míssil balístico”, que também é chamado de “ufo”, e que é capaz de ficar girando estacionário, produzindo uma espiral, não sendo derrubado pela defesa aérea... O mesmo artefato esteve girando sobre o céu norueguês em 2011 (onde há uma base da Otan), e sobre a Armênia – a filmagem deste último foi apagada no Pravda...!




























Horas após a OTAN haver concordado em enviar mísseis Patriot para a Turquia devido à crise na Síria, a Russia desembarcou seu primeiro carregamento de mísseis Iskander à Síria.
O Iskander, de superior capacidade, pode viajar à velocidade hiper-sônica de (cerca de) 21 km/segundo (Mach 6 a 7) e tem um alcance acima de 450 km, com precisão certeira... é um míssel superfície-superfície que nenhum sistema de defesa é capaz de detectar ou destruir.
wnd.com/2012/12/russia-arms-syria-with-powerful-ballistic-missiles

Os terroristas estrangeiros continuam invadindo por toda parte, porém cada vez que o Exército Sírio os defronta, é este que sai vitorioso. O Exército Sírio está lutando por sua nação, a quase totalidade dos "rebeldes" estrangeiros está lutando por dinheiro, não por seus lares. É esta a grande diferença.
europebusines.blogspot.com.br/2012/12/lord-stirlings-news

La radio iraní IRIB informa que los servicios de inteligencia de Rusia e Irán informaron con detalle al Estado Mayor sirio de la operación diseñada por la CIA y los servicios secretos turco-árabes en la región de Damasco. Los imperialistas y sus lacayos regionales han enviado una horda de 5 mil mercenarios y fanáticos para tomar los cuatro capitales en torno a la capital siria y la carretera del aeropuerto internacional y tratar de infligir una derrota a las fuerzas de elite sirias.
resistencialibia.info/=5329
resistencialibia.info/=5368
resistencialibia.info/=5358
alethonews.wordpress.com/2012/12/10/new-rebel-offensive



Dez 2012 - Manifestação pró-Governo Assad:
nacionalista, laico e socialista

presstv.ir/2012/12/03/people-in-golan-heights-hold-sitin-to-slam-terrorism-in-syria
algeria-isp.com/actualites/politique-syrie/vie-continue-syrie-octobre-2012.html
opednews.com/articles/Truth-and-Trauma-in-Gaza.html
voltairenet.org/article175015.html

























As regiões montanhosas do Sul do Líbano e de Golan são os aquíferos, dando origem entre outros ao Rio Jordão. Toda a região do Sul da Síria, Iraque, Jordania, até o Sinai e o porto para o Mar Vermelho/Índico é de desertos. No Mar Morto o Rio Jordão entra numa depressão geológica.
Os Sionistas ambicionaram todas estas terras, e obtiveram um mandato da ONU em 1947 para a criação do Estado de Israel. Com uma população inferior à dos Semitas Palestinos, os colonos judeus ganharam uma área maior que aquela destinada à população do Estado Palestino, que igualmente deveria ser criado, mas que nunca foi permitido se estabelecer de fato.
Neste mandato de 1947 uma parte das Montanhas junto ao Mar da Galiléia, as cidades de Haifa e Jaffa, e o porto do Sinai foram usurpados, sem que as populações locais fossem consultadas, estando sob mandatos franceses e britânicos do pós-guerra. Tel Aviv, um bairro dos colonos judeus sob consentimento, que era parte da próspera cidade de Jaffa, teve enorme expansão, e Jaffa virou um bairro de palestinos encurralados.
Com as guerras árabe-israelenses que se seguiram, Israel expandiu muito mais seu território, dividindo os Palestinos entre Gaza e Cisjordânia.

Saturday, July 7, 2012

28-Jogos de Guerra - 4

O que realmente ocorre na guerra contra a Síria
resistencialibia.info=5055
resistencialibia.info=5043
resistencialibia.info=5048
resistencialibia.info=5065



Eina Sehid Najin Derek

Veja a seguir as reportagens de Thierry Meyssan e Voltaire.org

Outubro 28 – Em 2010 o governo francês tomou a decisão de dar um sopro de vida nova em sua política colonial. Isso fez com que eles instigassem a mudança de regime na Costa do Marfim e na Líbia, e que viessem a tentar o mesmo resultado na Síria. Porém, diante do fiasco desta última operação, Paris se viu arrastada pela onda de eventos que ela própria desencadeou. Após ter armado e treinado grupos terroristas na Síria, o serviço secreto francês agora faz um ataque no coração da capital libanesa.
O almirante James Winnefeld, chefe de estado-maior adjunto dos E.U., confirmou que [...] um plano de paz tinha já sido negociado com Moscovo, que Bachar el-Assad ficará no poder e que o Conselho de Segurança não autorizaria a criação de zonas tampões.
Todos os actores da região se preparam pois para um cessar-fogo imposto por uma força [com respaldo da ONU] composta principalmente por tropas da Organização do Tratado de Segurança Colectiva: Arménia, Bielorússia, Cazaquistão, Quirguistão, Rússia, Tadjiquistão.
voltairenet.org/article176110.html
Esta nova realidade faz-se às custas da Arabia Saudita, da França, de Israel, do Catar e da Turquia que apostavam todos numa mudança de regime em Damasco. Esta heteróclita coligação divide-se agora entre os que reclamam um prémio de consolação e aqueles que tentam sabotar o processo em curso. De repente, Ancara mudou de alvo. Recep Tayyip Erdogan, que se afirmava pronto para o pior, tenta reconciliar-se com Teerão e Moscovo.
Restam Israel e a França que constituíram uma frente de antagonismo. A nova geopolítica daria uma garantia de protecção para o Estado de Israel, mas colocaria um fim ao seu estatuto partícular na cena internacional e arruinaria os seus sonhos expansionistas. Tel-Aviv seria despromovida ao escalão de potência secundária. Quanto à França, ela perderia a sua influência na região, e incluindo o Líbano.
No centro desta maquinação, encontramos o general Benoît Puga. Este antigo comandante das Operações Especiais e director do Serviço de Inteligência militar francês foi chefe de estado-maior particular do presidente Nicolas Sarkozy, e foi mantido no seu posto pelo presidente François Hollande.
voltairenet.org/article176396.html
voltairenet.org/article176392.html
voltairenet.org/article176399.html


O financiamento feito nos EUA para a oposição síria começou a correr sob a administração Bush em 2005… O Conselho Nacional Sírio [que recebe as verbas e vive no exílio] tem seu substituto verdadeiro no Conclave de Coordenação Nacional para Mudança Democrática, liderada por figuras da oposição que vivem dentro do país. Este conclave, de orientação esquerdista e secular, é aberto ao diálogo com o governo Assad e subscreve os três “nãos”: não a intervenção estrangeira, não ao sectarismo, e não à violência.
O Conselho Nacional Sírio, fortemente islâmico, por contraste, segue os três “sim”: sim à intervenção estrangeira, sim ao sectarismo, e sim à violência.
A ambição de Washington em derrubar o Estado Baatista da Síria vem de longa data, muito anterior ao atual levante. O estado norte-americano têm se dedicado a instalar um governo pró-imperialista em Damasco desde pelo menos 1957.
Com todas estas ocorrências, a Síria permanece bastante o mesmo estado socialista que os fundadores do Partido Árabe Socialista Baath conceberam, e muito pouco parecido com uma plataforma para lucros crescentes de bancos, investidores e corporações globais.
voltairenet.org/article172752.html


O que deseja esta mulher?? Continuando a obra militar de G.Bush Sr., o objetivo é saquear o planeta: porém não como benefício das sociedades dos países ocidentais, uma vez que estas são igualmente destroçadas, conforme os persistentes relatos dos autores de orientação liberal. O saque é para a Elite dos Banqueiros [o "Cabal"]



Kuwait Out 2012

Iran Notícias
iranews.com.br/index
Mathaba Port
mathaba.net/news/latina
Julho 30 - Navios Russos e Iranianos na Síria
iranews.com.br/noticias=8600

O membro do Parlamento turco (deputado do Partido Republicano Popular) Refik Er-Yilmaz disse que a província de Hatay, na fronteira com a Síria, se tornou um abrigo para enxames de agentes da CIA e Mossad que estão se infiltrando livremente na Síria.
presstv.ir/2012/07/31/turkish-province

Inteligência e Repórteres Alemães: “al-Qaeda” em toda parte
Uma divisão acerca da Síria está gradualmente emergindo ... Enquanto a Chanceller Merkel tem estado ativamente alinhando seu país segundo os esquemas ocidentais, as agências de inteligência alemã e a imprensa mostraram o escândalo da propaganda anti-Assad e a impunidade dos crimes cometidos pela oposição.
Escrevendo no tablóide Bild, o correspondente de guerra alemão de longa experiência Jurgen Todenhofer acusou os rebeldes de “matar deliberadamente os civis e em seguida apresentá-los como vítimas do governo”. Ele descreve esta “estratégia de marketing-massacres” como sendo “entre as mais revoltantes coisas que jamais experimentei em conflitos armados”. Todenhof esteve recentemente em Damasco, onde entrevistou o Presidente Sírio Bashar al-Assad para a televisão pública alemã ARD.
voltairenet.org/German-Intelligence-al-Qaeda-All


Os terroristas chegaram

Damasco, Julho 06 – Ali Jassem al-Mohammad confessou ter sido membro de um grupo terrorista armado que foi responsável por muitos massacres contra civis e representantes da polícia civil, incluindo o ataque no ambulatório al-Khalidiye onde eles mataram todas as pessoas que estavam lá dentro, e fotografaram os corpos para que as imagens fossem usadas para atribuir o crime às forças armadas da Síria.
Al-Mohammad disse que ele e 300 fuzileiros de várias regiões vizinhas atacaram o ambulatório de al-Khalidiye por todos os flancos, usando lançadoras de granadas RPG e rifles AK-47 e M-16, matando 40 das pessoas no ambulatório e sequestrando os 10 remanescentes.
Ele disse que ele e seus cúmplices juntaram os corpos, arrancaram suas vestes, amarraram as mãos e os fotografaram para que o ataque fosse passado como se cometido pelas forças de segurança e pelo exército, em seguida levaram os corpos para um enterro próximo à mesquita de Jafar al-Tayyar...
sana.sy/eng/337/2012/07/06/429825.htm

Damasco, Julho 22 - Exército salva cidadãos de ataques mercenários
youtube.com/=ucA34_DcnBY

Tony Cartalucci, Land Destroyer, Julho 06
Foi tornado público já em 2007 por Seymour Hersh em sua reportagem The Redirection publicada no New Yorker que os EUA, Israel, Arábia Saudita e outros [Catar] estavam agrupando, financiando, abastecendo de armas, e pondo em operação uma frente de extremistas sectários, muitos com ligações ao al-Qaeda, para fragilizar, desestabilizar, e eventualmente conseguir a derrubada dos governos do Líbano, Síria e Iran.
Foi notícia que terroristas líbios liderados por Abdul Hakim Belhach, comandante do Grupo Combatente Islâmico Líbio [LIFG], uma organização que está na lista do Departamento de Estado dos EUA como “Terrorista Estrangeiro”, havia se unido ao assim chamado “Exército Livre da Síria” [FSA], junto a extremistas sectários do Iraque que se especializaram nas explosões terroristas indiscriminadas de bombas que agora estão devastando a Síria.
De fato, a verdadeira natureza dos “rebeldes” da Síria tornou-se tão bem conhecida, que recentes tentativas para despistar a opinião pública com reportagens repetidas, porém insubstanciadas de “atrocidades”, com a intenção de demonizar o governo Sírio, foram recebidas com ceticismo, descrença, e mesmo indignação pelo público – apresentando a nações como a Russia e a China não apenas a oportunidade para desafiar os ditames do Ocidente, mais ainda o imperativo moral de assim fazê-lo nestes mesmos termos.
landdestroyer.blogspot/2012/if-us-loses-syria-us-loses-its-empire.html

Webster Griffin Tarpley, Março 2011
Os rebeldes claramentes não são civis, mas uma força armada. Qual tipo de exército armado?
Um estudo de Dezembro de 2007 da Academia Militar de West Point [examina] a origem e formação dos combatentes de guerrilhas estrangeiros – jihadís ou mujahedin, incluindo bombardeiros suicidas – que estavam atravessando a fronteira da Síria para o Iraque durante o período 2006-2007, sob os auspícios da organização terrorista internacional “Al Qaeda”
Esse estudo é baseado numa massa de cerca de 600 fichas de arquivo pessoais do “al-Qaeda” que foram capturados pelas forças dos EUA no outono de 2007
[obs- Enquanto a CIA organiza e financia os mercenários fanáticos "al-Qaeda", a Academia Militar e os comandos do Pentágono teriam por suposto o dever de combatê-los. Relatórios como este de West Point fazem com que os generais e soldados se recusem a lutar ao lado dos mercenários aqui descritos]
tarpley.net/2011/03/24

Finian Cunningham, Julho 03
Os Estados Unidos e seus aliados Ocidentais estão se comportando cada vez mais como os emperadores em fatal decomposição ao final do Império Romano: decadentes, auto-indulgentes e supremamente arrogantes.
Porém o absurdo e a obscenidade do Encontro de Genebra [julho-01] é o de que a selvageria que se alastra na Síria foi em ampla margem inflingida naquele país por estes mesmos poderes ocidentais, junto a seus clientes turcos e árabes.
Desde meados de março de 2011, estas facções têm estado armando, financiando e direcionando grupos de milicianos mercenários para destroçar a Síria desde seu interior.
Conforme assinalado pelo autor e analista norte-americano Webster Tarpley recentemente, Washington e seus aliados não mais preservam um mínimo de respeito pela soberania dos países. Os Poderes Ocidentais estão em missão para saquear o planeta numa vã tentativa de ressarcimento de suas sociedades afundadas no débito e bancarrota.
globalresearch.ca/index.=31732



ALEPPO

Aleppo Resiste a Invasões desde os Hititas do séc. 18 aC